Quando é o momento certo para procurar investimento para sua startup?

Buscar investimento para startup não é tarefa fácil. É verdade que toda e qualquer atuação empresarial vai demandar força de trabalho e empenho financeiro também, mas no caso de startups, que nem sempre nascem no meio corporativo, pode ser um trabalho ainda mais árduo.

Mas, vamos lá, no final das contas você sabe que vai precisar buscar o investimento para startup. E uma das opções iniciais mais frequentes é o apoio de familiares, amigos e conhecidos em geral – o conhecido grupo Family, Friends and Fools (FFF). Porém, geralmente, eles não irão se beneficiar de fato das soluções que você desenvolverá. Sendo assim, não seria melhor criar e validar um bom modelo de negócios e depois pensar em captar investidores adequados para sua startup?

Aposte em você para atrair investidores

Uma das formas de posicionar o seu empreendimento como uma opção viável para investir é validar o seu modelo de negócio primeiro. Na ISSO!, por exemplo, há o incentivo para que as startups acreditem naquilo que têm a oferecer. Nós dizemos: você tem um ótimo negócio, conquiste seus próprios recursos e, então, conseguirá chegar até a empresa que precisa de você e do que você tem a oferecer. 

Investimento para startup: produtos e serviços, ideias ou talento?

Você com certeza já sabe que um dos diferenciais de uma startup é a possibilidade de vender ideias ao invés de apenas serviços e produtos, como fazem as empresas de modelos mais tradicionais. Porém, até mesmo esse conceito de “vender ideias” pode ser aprimorado.

Como assim? Nós explicamos: que tal, além de apenas vender sua ideia (que tem tudo para ser muito boa sim, acredite!), você também vender o seu talento? Uma startup pode e deve acreditar no fato de que possui um modo diferente de encarar a vida e os negócios. E que essa mentalidade e energia são fundamentais para empresas consolidadas, que precisam renovar o modo de trabalhar para não ficarem para trás.

Modelo de negócio

Procurar investidores não é tarefa para um homem só, assim como a validação do modelo de negócio também não. Estar inserido em um ambiente que te oferece consultoria e acompanha de perto as etapas de desenvolvimento de projeto, agiliza a definição de valores de investimento que sua startup requer. Também proporciona um retorno mais rápido a quem acreditou no projeto, seja ele financeiro ou não.

Outra vantagem de fazer parte de uma rede é a pluralidade de pontos de vista que resultam em uma melhor revisão do modelo de negócio, que é vivo e pode ser adequado aos desafios que venham a aparecer. Essa é uma das principais diferenças entre o modelo de negócio de uma startup e um plano de negócios de empresas adeptas a modelos mais tradicionais.

A multiplicidade de ideias e possibilidades se intensificam em espaços virtuais e físicos como, por exemplo, o espaço de coworking da ISSO!, que funciona não só como um simples coworking, mas como um ecossistema de inovação, conectando de forma horizontal startups a empresários consolidados, bem como a outras startups também. Esse ecossistema de inovação possibilita desenvolver uma relação mútua de melhorias com outros novos empreendedores.

Buscar em um lugar só?

A existência de um espaço que abarca diferentes visões aumenta suas chances de prospectar o investimento para startup. Procurar investidores deve ser tarefa direcionada, mas não limitada. O ecossistema de startups conecta seu negócio a empresários estabelecidos, mas também viabiliza e incentiva uma relação de mutualidade profissional entre startups, permitindo a criação de uma rede de empreendedores que investem em outros empreendedores.

Em qualquer cenário que você esteja inserido, a validação do modelo de negócio deve anteceder a captação de investimentos. Mas vale ressaltar, mais uma vez, que a estrutura e time de um ecossistema de startups facilitam a validação e impulsionam investimentos.

Equipe ISSO!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *